Roteiro de 4 dias no Rio Quente (Dirigindo de Brasília)

Por Mayara Rosa & Neuton - abril 15, 2017

Missão: Comemorar o aniversário da minha mãe, em uma viagem de carro só de mulheres!

Oi pessoal! Viajamos apenas entre mulheres para comemorar o aniversário da minha mãe (foram ela, minha avó, minha irmã e eu) no Rio Quente. Dessa vez o Neuton ficou de fora :(, menos fotos legais rs. Vem ver!!!

 Dia 1 (Sáb): Saída de Brasília e a piscina do sapo!

Decidimos ir no sábado, saímos de casa às 07h16 da manhã (obrigada pela informação Google Timeline - ninja). Disseram que a estrada era super tranquila e toda duplicada (na verdade não é tooda, mas a maior parte). A informação que guardei era que passaria por 3 pedágios (não anotei os valores exatos, mas o mais caro não chega a 5 reais), então joguei no waze, e ele me trouxe 3 rotas (imagem abaixo). Sabia que deveria ir pela BR 060, por Goiânia, então escolhi a rota 2, spoiler alert: não era a rota 100% certa. O waze não mostra caminhos muito longos, então ele não mostrou a ida por Piracanjuba, que é o caminho que tem mais trechos duplicados.

Waze ofereceu 3 rotas diferentes. O caminho por Goiânia é o mais seguro.

Logo no primeiro pedágio, aprendemos a primeira lição de principiante de estrada. Quando tem um X em um "box" do pedágio, é porque há um problema (intuitivo, eu sei, mas fica a dica para algum desavisado rs).
Depois de dar a ré, pagamos o pedágio, e seguimos felizes, o caminho até ali estava tudo de bom!
Por volta de 08h40 paramos no famoso Jerivá, não para comer pamonha, apenas para ir ao banheiro e esticar as pernas. Depois do segundo pedágio da BR 060, chegamos em Goiânia, e apesar de lembrar que eram 3 pedágios, também lembrava que era preciso fazer um trevo, e o waze mandou justamente fazer um trevo logo na altura do Carrefour de GYN.

Foi aí que caímos na GO 020, logo no começo ela era muito bonita, duplicada, com palmeiras e tudo. E realmente as placas indicavam "Caldas Novas" kk, então era o caminho certo.  Mas a duplicação  não durou para sempre :(. Caímos em um trecho de pista simples.

Para nossa sorte, a estrada estava super tranquila, claro que tem sempre os apressadinhos ("a segurança no trânsito é você quem faz"). 
O problema na verdade foi ser tranquila até demais, em muitos trechos demorávamos muito para encontrar um outro carro, para uma viagem só para mulheres, achamos meio perigoso, caso fosse preciso parar o carro por alguma razão. As cidades também eram distantes. 



Conseguimos seguir em segurança e paramos no Auto Posto Entre Trevos, em Cristianópolis (separei abaixo no google street view), é uma parada com banheiros limpos. Eram 10h43 da manhã. E segundo o waze em 75min já estaríamos no Rio Quente.


Após essa parada, caímos na GO-139, esse é o trecho de pista simples que mesmo indo pelo caminho com 3 pedágios (por Pirancajuba) você tem que pegar. E, enfim, às 11h55 chegamos no complexo do Rio Quente Resorts, onde nos hospedaríamos. Abaixo coloco o caminho completo que fizemos na ida, durou 4h40 a viagem, com 2 paradas e 2 pedágios.

O maps não quer compartilhar o meu caminho muito doido, então vai imagem estática do google timeline. Se fosse o mais seguro, seguiria por Aparecida de Goiânia e pagaria o 3º pedágio, iria passar por Pirancajuba e fim rs.
Enfim chegamos ao nosso hotel, não ficamos dentro do Resort ficamos no Suítes & Flat 1, que é fora do complexo, fica há uns 10 min de carro. Isso não foi problema, pois tem um ônibus da empresa que passa a cada 20min e te deixa nos parques, de livre acesso para todos os hóspedes.

  
A vista do local, créditos das lindas fotos à minha mãe (ela disse que era para colocar :p).
Ao chegar no quarto, nos deparamos com esculturas de toalhas nas camas, muito fofo, esse era um cachorrinho, mas minha avó desmanchou antes que desse tempo de fotografar. Agora cabe a você imaginar que animal é esse, acho que pode ser um tamanduá kkk.

Nossa hospedagem era no esquema de meia pensão, ou seja, café e almoço incluídos. Ainda chegamos a tempo do almoço, e era suuper farto. Eu comecei com uma canjinha de galinha, pois o ar condicionado na viagem atacou minha alergia. Mas a balança não me deixa mentir e dizer que fiquei só na canja. Comemos muuuito todos os dias, e o pudim na sobremesa era simplesmente espetacular!
Como o Hot Park fecha às 17h, após o almoço nós fomos conhecer o Parque das Fontes, esse é um clube que fica aberto apenas para hóspedes, funciona 24h, tem 8 piscinas quentes correntes naturais. É bem arborizado (para quem é de BSB, lembrou bastante a água mineral). Para quem gosta, toda noite também tinha shows nesse parque. Acabamos não indo em nenhum, mas parece ser bacana.
Surpreendemos com a quantidade de pessoas nas piscinas. Estava lotado! Parecia uma sopa de letrinhas kkk
As 4 mulheres da viagem! Ao fundo você vê o banheiro bar molhado.
Essas eram as quedas d'água, ótimas para massagear o corpo. Mas foi aí que encontramos o simpático habitante. Um enorme sapo! Na hora que vi nem consegui gritar kkk, apenas saí rápido dali, e ouvi o grito de outras mulheres lá perto segundos depois rs. O mais engraçado é que logo na semana seguinte nossos amigos André e Dani (que já apareceram aqui no post do Rapel) foram para lá e encontraram o mesmo sapo no mesmo local! kkk

A minha avó tem fobia de sapo, não consegue nem ver na TV, então fim de festa rs. Voltamos para o hotel e vimos que tinha uma feirinha gastronômica na cidade. Muito simples, comemos um pastel e fim do primeiro dia.

 Dia 2 (Dom): A praia do Cerrado!

Segundo dia, tomamos o café e partimos logo para o Hot Park. Queríamos conhecer a Praia do Cerrado, que ainda não existia quando fomos ao Rio Quente há alguns anos. Ela é muito bacana, ficou super gostoso, uma vista boa, e o melhor, é quentinho rs.



Nos divertimos bastante na piscina de ondas! Recomendamos.
Depois de cansar da praia, queríamos ir no Lazy River, que é um passeio de boias bem tranquilo. O problema é que queríamos ir todas juntas, e não tinha onde deixar as coisas. Na praia é mais tranquilo porque tem gente próximo.

Aí o jeito foi colocar as coisas no guarda-volumes. Para nossa nada agradável surpresa, o aluguel de um armário pequeno custava 27 reais! Aí fizemos de tudo para encaixar as coisas de 4 mulheres no armário. 
Missão cumprida!
Relaxando no passeio para esquecer o assalto do guarda-volumes kkk.
Depois, vimos que o Giant Slide (escorrega gigante) estava ali do lado. É muito divertido, você desce na boia. Minha avó tinha gostado tanto do passeio do rio que também quis ir nesse. Ela não sabia que era tão radical, achei que quando chegasse lá em cima ia desistir. Que nada! Ela desceu sem pestanejar! Adoramos! Veja o vídeo!
Depois dessa encerramos o dia no parque, prometendo que no dia seguinte iríamos em todos os brinquedos radicais, seguindo o exemplo da minha avó!

À noite saímos para jantar, não achamos nada muito legal, a feirinha não funcionava no domingo. Acabamos caindo em uma pizza, horrível de gordurosa, e uma de banana que só tinha umas 4 rodelas. Desculpem os amigos de Caldas e Rio Quente que possam estar lendo aqui, mas já tentamos outras vezes e pizza não rola por ali rs.

 Dia 3 (Seg): Todas as Aventuras do Hot Park e Jantar Mexicano.

Acordamos animadas, era o dia do aniversário da minha mãe, e estávamos prontas para aventura, apelidamos o dia de 50 radical (desculpa mãe, entreguei sua idade, mas você está ótima kkk), planejamos as atrações que queríamos encarar e partimos para o último dia de parque. Nossa estratégia se provou boa, segunda-feira o parque estava super tranquilo, brinquedos sem fila. Uma desculpa a menos para a covardia!
 Vejam o tamanho do complexo. Desculpem a foto ruim, mas já estava todo vincado rs. No site não achei assim :/
Dessa vez deixamos os celulares e fomos apenas com as toalhas e chinelos e a Go Pro para o parque, e já fomos nos molhar no balde gigante que fica na área das crianças, fotos e vídeo abaixo.

 

Depois, a primeira aventura foi concluída, 3 toboáguas, um fechado, um aberto e o terceiro que você descia em um tapete entrando de cabeça (esse só minha mãe foi!).
Encorajadas pelo sucesso no toboágua, partimos para o segundo nível: o Half Pipe (a.k.a boia da morte). Primeiro fomos a Natália e eu. Estávamos com a teoria de que ir na frente era pior, então eu, que estava surpreendentemente com mais coragem, fui na frente. A Natália quase desmaia atrás, teoria furada. Então fui com a minha mãe, ela na frente e eu atrás. Realmente atrás é pior, a boia descola um pouco mais do chão. Para terminar a combinação, faltava a minha mãe indo na parte de trás e a Natália na frente, o resultado você confere no vídeo abaixo!


O único brinquedo que faltava era o XPirado (que fica a 31 metros de altura) e parecia ser o mais aterrorizante. Eles até passam um filminho antes de entrar, sobre umas piranhas assassinas rs.

Mas na verdade o terror foi subir aqueles infinitos lances de escadas. A descida tiramos de letra após o Half Pipe kkk.
Ao fundo o XPirado. Todos os desafios cumpridos com louvor! Parabéns mãe. Exemplo ❤️

Depois de tanta aventura demos sorte, o ônibus que passou foi o executivo! Bom demais.

Olha que mimo fofo, ao voltar para o quarto, tudo estava cheio de flores e bombons, e tinha um bolinho de toalhas! Foi também a volta do cachorrinho assassinado! 
Como as opções da cidade estavam fracas, para a noite de aniversário da minha mãe, resolvemos contratar um dos jantares temáticos (cada dia acontece um, no Hotel Cristal, o mais top do complexo). Essa noite seria mexicano!

  
O esquema era de buffet, coma o quanto puder. Estava muito gostoso, com várias opções. Valeu a pena :).

Natália fez um prato bonito, e fotografou para a gente.
Infelizmente, minha avó não estava se sentindo muito bem nessa noite, mal-estar estomacal. Nessa tacinha está o sonrisal caseiro que um garçom trouxe para ela, depois de tomar, ela se sentiu um pouco melhor, achei bacana, vale a dica. Ingredientes: Água com gás, limão e sal. 

 Dia 4 (Ter): Pulo em Caldas Novas e retorno (caminho mais longo e mais seguro).

Dia de voltar, mas antes resolvemos dar um pulo em Calda Novas. Queríamos comprar uns roupões de zíper baratos rs. Achamos ali no centro. Lembrávamos que o Frutos do Goiás era por ali, mas estava fechado (queria meu picolé de araticum 😭).

Pegamos a estrada, dessa vez pelo caminho certo, mais detalhes abaixo. 
Para não arriscar, no meio da estrada, o bom e velho Subway salvou a pátria.

Então encerro o post com o caminho que pegamos na volta, o mais longo e com maior trecho duplicado, por Piracanjuba. Chegamos em casa por volta das 15h30. Super tranquilo.
Esperamos que tenham gostado e até a próxima!
 Dica bônus #1: Como já disse, existem duas opções de caminho (na verdade 3 - também existe o caminho por Luziânia, mas esse é mais perigoso). O mais longo, porém mais seguro,  é o que fizemos na volta, que tem 3 pedágios. Passando por Piracanjuba. Já, o da ida é mais curto, mas mais ermo, pela GO 020.  Para rotas para outras cidades consulte este link.

 Dica bônus #2: Caso fique hospedado nos flats do Rio Quente Resorts, se possível pergunte sobre a distância da acomodação, acabamos ficando em um quarto muito afastado, se estiver viajando com alguém com dificuldades de locomoção será um problema.


 Dica bônus #3: As opções de restaurante no Rio Quente são muito fracas, caso possa, contrate a pensão completa na hospedagem (com jantar).


 Dica bônus #4: Caso não queira ficar hospedado no Rio Quente e deseje apenas visitar o Hot Park por um dia, tente evitar os sábados e domingos, a fila estava simplesmente kilométrica!


 Dica bônus #5:  Para visitar o parque tente não levar nada de valor, só a toalha. No caso da GoPro é perfeito, mas caso não tenha, uma capinha daquelas impermeáveis para o celular pode ajudar, é péssimo ter que se preocupar em deixar as coisas com alguém vigiando, e o guarda-volumes é um assalto bastante caro.

  • Compartilhe:

Veja também

0 comentários