Feriado de 1º de maio: de carro de Paris aos castelos do Vale do Loire

Por Mayara Rosa & Neuton - junho 25, 2017

Olá amigos! Nesse post vamos contar tudo sobre nossa viagem de carro de um dia pelo Vale do Loire! Voltamos no tempo e conhecemos várias cidadezinhas lindas e castelos suntuosos. Só podemos dizer: os franceses não brincaram em serviço! Vem com a gente e veja todos os detalhes!

Definindo o roteiro

Como já é costume, aproveitamos o feriado de 1º de maio para dar aquela esticadinha nas férias. Só que rapidamente percebemos que não seria uma boa ideia ficar em Paris. Para o parisiense esse feriado é dos mais importantes, praticamente TUDO fecha, além das diversas manifestações que acontecem.

Nosso primeiro plano foi conhecer o Mont Saint-Michel, lugar incrível que foi indicado por uma amiga que já visitou. Mas infelizmente, no feriado, a abadia que fica no topo do monte estaria fechada, já perderíamos uma das coisas mais legais. Além disso seriam mais de 4h dirigindo para chegar até lá. Ficaria puxado, mas estávamos dispostos para ver esse fenômeno da alta da maré que transforma o monte em uma ilha, é surreal, veja abaixo:


Pois bem, em uma conversa com a professora de francês ela disse: "vocês deviam ir para o Vale do Loire, é tão romântico! É uma região linda cheia de castelos (são centenas!) ao longo do rio Loire, que é o maior da França em extensão". Já pareceu animador. Ao buscar no Google a primeira foto que aparece já convenceu (era o castelo de Chambord).
Não acreditamos em um negócio desses! 
Além de ser uma região linda, era mais próxima a Paris, a primeira cidade, Orleans, fica a apenas 1h30 de carro. Existem outras opções de deslocamento, mas para aproveitar ao máximo recomenda-se ir de carro, a estrada é linda, com vários campos de canola, vários moinhos de vento no horizonte... ah é perfeito! 

Como dito acima, são centenas de castelos, então para decidir, utilizamos o post do Viaje na Viagem (5 castelos top no Vale do Loire) e também um artigo de uma revista (como mostramos no post do planejamento da viagem).  A vontade era de conhecer todos, mas em um só dia colocamos 6 paradas (e uma não conseguimos). Mas deixamos aqui o roteiro completo de carro no Google Maps, com tudo. E acho que escolhemos muito bem!



Roteiro definido, o próximo passo foi reservar o carro. O difícil foi achar locadoras que estariam abertas no feriado, e de preferência fora do aeroporto, para facilitar o trajeto. O Neuton utilizou os agregadores http://www.rentalcars.com/ e http://www.autoeurope.eu/, e encontrou a Avis na Gare de Lyon. Selecionamos o carro mais simples automático disponível.

Importante. Para aproveitar ao máximo o passeio foi preciso madrugar. O primeiro horário da locadora era 6h30, essa hora estávamos lá. Como Deus ajuda quem cedo madruga, o carro que selecionamos estava bloqueado por uma van no estacionamento! Por ser feriado, não tinha ninguém para tirar, então recebemos um upgrade para o Renault Talismã (fotos abaixo), nada mal rs.

  

Como madrugamos, nem tomamos café, paramos na estrada e encontramos um posto de gasolina com um café todo automatizado. Muito legal. 

 

A bela Orléans


Nossa primeira parada foi em Orléans. Cidade famosa pela batalha de Joana D'Arc durante a Guerra dos Cem Anos. Ela é super-homenageada na cidade, um dos cartões postais é a sua estátua. 

Além disso, lá também fica uma das maiores catedrais da França, Santa Cruz de Orléans, em estilo gótico. Ficamos sem folego ao vê-la, pois foi a primeira catedral que vimos na Europa (e são colossais).

Ocorreu um encontro de jovens escoteiros nesse dia, crianças com vários uniformes estavam reunidos na praça em volta da estátua de Joana D'Arc. Muito bacana vê-los.

Essa foi uma das cidades que ficamos com vontade de conhecer melhor, ela é muito charmosa. Vale a pena visitar! E fica pertinho de Paris!

Confira as fotos no álbum abaixo!


A bela Orleans

Orléans Cathedral (Basilique Cathédrale Sainte-Croix d'Orléans) de Piña Blog no 500px.com




O gigante Chambord


Começamos com esse incrível panorama em alta resolução (aperte o botão para ver em tela cheia e brinque de onde está Wally Mayara?) que o Neuton preparou. Talvez vocês possam ter a noção do que é o tamanho desse castelo que era apenas um castelo de caça do Rei Francisco I, ele passava apenas 7 semanas do ano lá, quem pode, pode né?

Nós ficamos de queixo caído quando vimos de dentro do carro, entre as árvores, esse gigante. É de arrepiar. E ainda demos sorte, aconteceu uma feira local de antiguidades (ali sim são itens antiquíssimos).  Muitas pessoas estavam lá levando itens para comprar e vender. Também tinham umas barraquinhas de comida, enganamos a fome ali.

Em seguida, entramos nos portões do castelo, e lá dentro o que vale mais a pena visitar é o telhado, com seus balcões com vista para os jardins. Veja no álbum abaixo um pouco mais do Castelo de Chambord!

Chateau de Chambord

Chenonceau e seus arcos

O próximo castelo foi o Chenonceau. Também conhecido como o Castelo das Damas, ele é o mais visitado do Vale do Loire. E não nos decepcionou. Ele tem torres em estilo renascentista, mais parecido com o que vemos nos contos de princesas. Por dentro está bem conservado (mais do que o Chambord) e tem dois jardins lindos (um de cada dama: Catarina de Médici e Diane de Poitiers), além do labirinto verde que também é bem legal.

Nossa ideia era ter almoçado no L'Orangerie, mas chegamos depois das 15h, e já estava fechado :(. Então acabamos comendo na lanchonete (que também tem almoço no esquema de buffet), pedimos um hambúrguer, nada mais real, não é mesmo? kkk

Hambúrguer e french fries, na França apenas fries rs.
Depois disso, entramos no castelo. É uma graça, e por ser menor é possível visitar todos os ambientes. Veja no álbum abaixo os detalhes!

Chateau de Chenonceau


O lugar que não deu pra conhecer :(, o Pagode de Chanteloup, ficava a 20min do Castelo de Chenonceau, mas fechava às 18h e não tínhamos nos atentado a isso.


Os belos jardins de Villandry


Nosso próximo castelo é mais conhecido por ter um dos mais belos jardins do mundo, eles são simétricos e muito extensos. Sabendo disso, eles permitem que você pague para ver apenas os jardins, sem entrar no castelo. Foi o que fizemos.

E, demos sorte! Fomos os últimos a chegar, e o jardim ficou só pra nós dois, foi um privilégio. É até um pouco fantasmagórico, aquele jardim tão gigantesco e só a gente ali. Não tinha nem sequer um guardinha. Mas com certeza deve ter câmeras, porque não tinha uma folha fora do lugar.

Confira o resultado nas fotos abaixo!

Jardins de Villandry

Um pulo na cidade de Blois

Uma das coisas que nos chamou a atenção são as placas de atrações turísticas ao longo da estrada. Essa foto, e as demais que utilizamos no post, foram encontradas no Google (as que tiramos, foi no meu celular, que perdi ao fim desse dia :/). Saiba mais sobre elas aqui (em francês).
Vimos a dica de que um bom lugar para encerrar o passeio do Vale do Loire, é em Blois. Por 2 motivos: por ser uma cidade (não apenas um castelo afastado), tem mais opções de restaurantes e por ter um belo pôr do sol sobre o famoso rio Loire!
Uma pena, já chegamos avançados no horário na cidade. O pôr do sol já havia acontecido. Nem tivemos uma foto boa, mas é uma graça a cidade com as casinhas iguais ao fundo!
Em Blois também fica p suntuoso Palácio Real, que é bastante visitado. Mas não tivemos tempo dessa vez. Apenas o pequeno passeio pelas ruazinhas em paralelepípedos deu pra sentir o charme da cidade. Mais um lugar que merecia mais tempo.

O jantar foi em uma pizzaria bem charmozinha, a Le Duc de Guise.

Retorno a Paris

Para não perder o costume, foi a hora da aventura rs. Esse negócio do sol brilhar até 21h confunde a gente! Chegamos à Blois ainda estava claro, mas na pizzaria nos demos conta que estávamos muito atrasados. O carro deveria ser devolvido as 23h30 (no mais tardar meia-noite, que era quando a locadora fechava), e ainda tínhamos que abastecer (no sistema self-service, que nunca tínhamos usado)! 

Levamos a pizza para viagem, e fomos comendo no carro kkk. Quando encontramos um posto de gasolina, apanhamos um pouco, porque as instruções estavam em francês. Mas depois vimos que não tem segredo, o sistema é pré-pago: Primeiro você coloca o cartão (sem definir o valor), depois pega a bomba e abastece a quantidade desejada, ao devolver a bomba, é feito um bloqueio no cartão de crédito e o valor exato é cobrado normalmente. Muito prático. Mas o nosso problema foi querer encher o tanque, não sabíamos como colocar a bomba com aquela trava automática, então o Neuton foi sentindo mesmo que horas estava cheio rs. Também paramos o carro no limite da mangueira. Culpa da tensão de correr contra o relógio!

Mas no final deu tudo certo! Primeiro mundo. Ao chegarmos no estacionamento da locadora, bastou entregar a chave, pagar o valor e tchau. Sem burocracia. 

Como dissemos no início do post, a locadora ficava na estação Gare de Lyon, e aí vai uma última dica. Depois dessa correria queríamos ir ao banheiro, mas eles fecham após a meia-noite! Então garanta seu pit-stop na estrada.

"Não deixe seus sonhos serem sonhos". Obrigado pela companhia em mais esse post de um sonho realizado!

 Dica Bônus #1  Durante esse passeio há cobrança de pedágios. Não se assuste se não encontrar nenhum funcionário como aqui no Brasil. É muito simples, na entrada você apenas retira um ticket, e ao sair do trecho do pedágio, você devolve o ticket e aparecerá o valor a ser pago, aí basta colocar o cartão de crédito (em alguns aceitam dinheiro, mas não em todos). Depois de Orléans, o bom é sair da autoestrada A10 e pegar as estradas menores, chamadas "vicinais" que são mais charmosas e guardam surpresas.

 Dica Bônus #2  Não precisamos comprar a entrada antecipada para nenhuma das visitas. Recomendamos que você faça o mesmo, pois nunca se sabe se vai gastar mais ou menos tempo em algum dos lugares, então é melhor deixar mais flexível. E não enfrentamos nenhuma fila grande.

 Dica Bônus #3  Se não fosse nossa primeira visita à Paris, com certeza valeria a pena a hospedagem de ao menos uma noite no Vale do Loire!  Escolher alguma dessas cidadezinhas e conhecer mais coisas. Caso possa, não pense duas vezes!

 Dica Bônus #4  Uma opção é fazer o caminho de volta por Le Mans e Chartres, onde fica a bela Catedral de Chartres (à esquerda), que é uma das mais belas catedrais góticas da França.

 Dica Bônus #5  Quer ver um pouco mais dessa região incrível? Assista abaixo episódio da excelente série da Discovery, "O mundo visto de cima". Essa dica foi dos nossos amigos do Station2Station. Só tome cuidado que essa série pode ser viciante para amantes de viagens!

  • Compartilhe:

Veja também

0 comentários