O que fazer em um fim de semana na Chapada dos Veadeiros!

Por Mayara Rosa & Neuton - outubro 05, 2017

Que tal dar uma escapada da cidade e curtir a natureza em um final de semana? Foi exatamente isso que fizemos! Confira as belezas que encontramos nessa aventura. 

Começaremos este post de forma diferente. Essa mini viagem foi a convite de nossos amigos Ígor e Liliam (eles também têm um blog o S2station. E adoram fazer vídeos musicais de suas viagens. Por aqui eles já apareceram no nosso roteiro de Recife, clique e assista ao vídeo). Eles já haviam visitado a chapada, mas pegaram uma baita chuva. Agora, na época da seca (que vai de julho a setembro), nós aproveitamos bem. Confira o vídeo desse nosso passeio, com muitas imagens de drone :). Com certeza você ficará com vontade de conhecer a Chapada dos Veadeiros!

Agora sim, vamos ao roteiro!

Dia 1 (Sex): Ida em busca das estrelas!

Para aproveitar mais, já saímos na sexta no fim de tarde. Assim já acordaríamos por lá no sábado para não perder a manhã, que é o melhor horário para fazer as trilhas. 

Momentos capturados pela janela do carro. O espetáculo já começa no trajeto :)
A cidade de Alto Paraíso de Goiás, fica a um pouco mais de 200km de Brasília. Levamos quase 4h para chegar. Isso porque não saímos tão cedo e acabou escurecendo no caminho, e apesar da estrada estar em boas condições, existe um bom trecho de fila dupla. Então é preciso cuidado. Prefira viajar durante o dia.

Nossa estadia foi um Airbnb estilo hotel-fazenda, nele tem duas casas a Indaiá e a África, onde ficamos. A casa é bem confortável, são dois quartos e dois banheiros. Mas o motivo pelo qual nossos amigos escolheram esse local, foi por ficar afastado, e ter um enorme "quintal" com vista para as estrelas.
Não imaginávamos que até a via láctea conseguiríamos ver a olho nu. Incrível! 
O jantar foi no Bistrô Vinil, lugar simpático que serve comida em "panelinhas goianas". Gostamos do ambiente (tinha música ao vivo) e também dos pratos, estavam saborosos.

 
Experimentamos a cerveja goiana Colombina, feita com ingredientes de cerrado, e que já ganhou prêmios.

Dia 2 (Sáb): Cachoeira das Capivaras e Santa Bárbara

Saímos um pouco depois das 9h para conhecer a famosa cachoeira de Santa Bárbara. Sabíamos que o bom horário de estar nela era no meio-dia, pois o sol estaria batendo dentro do poço. Essa cachoeira fica em Cavalcante, outra cidade, que fica a 1h30 de Alto Paraíso. 

Mas ao chegar na entrada da cidade, ainda seguimos por mais 1h até finalmente chegar a reserva quilombola, que é o onde fica a cachoeira de fato. Nessa hora é preciso contratar um guia (é interessante juntar com mais algumas pessoas para diminuir o preço - pagamos 70 reais pela guia e 30 reais para cada pelo almoço, que é opcional). 

Infelizmente, as regras de quantidade de pessoas na cachoeira são restritas, e apesar de termos chegado no horário certo, um pouco depois das 11h. Não poderíamos seguir para a Santa Bárbara, pois já estava muito cheia :(. Mas nos deram a opção de ir para outra cachoeira, a das Capivaras, e seguiríamos para a Santa Bárbara mais tarde.

 
Depois de uma trilha moderada, chegamos à Cachoeira das Capivaras, gostamos muito, ela tem uma vista linda da Chapada. Vale a pena conhecer.

Depois da caminhada, a recompensa.
Ficamos aproximadamente uma hora por ali, e então a guia nos chamou para seguirmos para a Santa Bárbara. Seria mais uma boa caminhada pela frente. Mas em boa parte dela, o terreno é plano.

  
Realmente a cor da água impressiona, é um azul sensacional. Mesmo sem o sol é muito lindo! O bacana também é que na seca dá pé próximo à queda d'água! Ótima de entrar, encare o frio!
Agora era voltar os 4km em direção ao almoço.
Apesar de longe e de ser um passeio cansativo, recomendamos a todos a visita a Cachoeira Santa Bárbara! Antes de voltar para Alto Paraíso, paramos no mirante da nova aurora e pegamos um visual de tirar o fôlego (não deixe de conferir no vídeo do início do post!). 

Mais tarde, o jantar foi no La Vita e Bella, restaurante italiano, com um chef vindo da Itália... mas não nos sentimos comendo uma comida de nona rs.

Dia 3 (Dom): Jardim de Maytrea, Vale da Lua e retorno

Último dia, o destino seria o também famoso Vale da Lua, mas no caminho para ele fica o Jardim de Maytrea, para vê-lo é bom estar com o gps, pois a entrada na beira da pista é um pouco escondida. Não vou falar muito sobre ele, apenas veja as fotos, que falam por si. 

Nós quatro. A vista ali realmente é incrível.
Seguimos para o Vale da Lua, outro lugar incrível, com formações rochosas que lembram muito o solo lunar. A água criou buracos e a cachoeira vai criando piscinas em vários pontos.

 

Pra não dizer que tudo são flores, nos surpreendemos em como o local estava cheio. Recomendamos evitar os finais de semana.
Antes de retornar, passamos em São Jorge, apenas para conhecer, a cidadezinha é bem rústica, as estradas nem são asfaltadas, recomendamos hospedar-se em Alto Paraíso mesmo. Almoçamos no Restaurante Tapindaré, tradicional na cidade. Comida sem muita variedade, mas boa.  

Agora era tocar para casa, para não pegar a estrada escura. Muito cansados, porém revigorados com esse contato com a natureza.

Esperamos que tenha gostado. E se quiser saber mais, veja também o post dos nossos amigos no S2station, é um FAQ completíssimo com muitas outras opções de passeios!


Dica Bônus #1 Caso tenha mais tempo não deixe de visitar o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, um patrimônio mundial natural da lista da Unesco. São várias opções de trilhas entre fáceis, moderadas e difíceis. E em todas elas você poderá tomar banho de cachoeiras e aproveitar o visual incrível. E o melhor, é grátis. Queremos voltar ainda para conhecê-lo.

Dica Bônus #2 Outro lugar que não fomos, mas que ficamos com vontade de conhecer é o Poço das Esmeraldas. Como o nome já diz, o poço tem uma coloração bem verde. E também é uma atração diferente. Fica a dica para quem já foi e quer voltar e conhecer lugares novos.

Dica Bônus #3 Não esqueça de separar lanches (de preferência leves e saudáveis) para levar para as trilhas. Normalmente nesses passeios o almoço é mais tarde, e a fome pode atrapalhar!

Dica Bônus #4 Por falar em fome... não encontramos muitos lugares excelentes para comer. Gastronomia não é o foco por ali. Caso já tenha ido e gostado de algum lugar, comenta aí pra gente!

Dica Bônus #5 Carro: dê preferência aos mais altos (não necessariamente 4x4). Mesmo na seca as estradas de terra tem suas partes esburacadas, vimos alguns carros "simples" pelo caminho, mas com certeza o sofrimento para chegar aos destinos foi grande.

  • Compartilhe:

Veja também

0 comentários