Desafios: Subir as escadarias da Sacré-Cœur e tirar o Navigo Découverte (bônus: Arco do Triunfo)

Por Mayara Rosa & Neuton - julho 08, 2017

Neste post vamos contar dois de nossos desafios em Paris. O primeiro foi a nossa visita à Basílica do Sacré-Cœur! Estávamos ansiosos (e até temerosos) pela escadaria que teríamos que enfrentar. Mal sabíamos que chegar lá não era o difícil. Valeu super à pena. O segundo, foi conseguir o cartão de metrô Navigo Découverte! Confira as dicas para chegar preparado!

A primeira escadaria (opcional)

A basílica do Sacré-Cœur (Sagrado Coração ou sacrequé) é um dos lugares mais visitados de Paris. Ela fica no ponto mais alto da cidade, no Monte Martre. O bairro Montmartre é um pouco afastado, então o ideal é sair cedo para lá. É muito fácil chegar lá pelo metrô. A igreja não fica muito longe da estação - horizontalmente, ao menos.

Como você deve ter percebido pelo subtítulo, a primeira escadaria para chegar à igreja é opcional. Isso porque existe um funicular para subir a colina. Nós enfrentamos a escada, gastando umas calorias e não gastando uns euros.

No fim das contas nem foi tão difícil assim! Se estiver disposto não tenha dúvidas.
A Sacré-Cœur é linda, e o ambiente é super legal, cheio de artistas de rua se apresentando! Muito parisiense. E ficou marcado para gente, não deixe de visitá-la!

A segunda escadaria (obrigatória)

Ao entrar nos portões da igreja, vimos uma placa indicando a visita panorâmica ao dome (a cúpula redonda da basílica). Deixamos para entrar na igreja depois e seguimos para lá, aproveitando que não havia filas.
Custou 6 euros para a subida ao dome.
Para esse acesso, não há opção, é preciso subir a enorme escadaria em caracol. E podemos dizer, a primeira escada dessas a gente não esquece (ainda subiríamos mais algumas nessa viagem). Se você é claustrofóbico vai ser um teste, em alguns trechos é bem escuro e apertado.
Quase lá! Apesar do exercício, é bem gelado dentro dessas escadas.
Gravamos um pequeno vídeo dessa subida, confira abaixo para ter uma noção do que é essa experiência. Um desafio e tanto.





Mas a recompensa é demais!! A vista é incrível, tanto da cidade quanto dos próprios detalhes da igreja. E é muuuito alto, as colunas são bem espaçadas, dá até um friozinho na barriga.
A vista de Paris lá de cima.
Sonho realizado, ver gárgulas!
As colunas do dome. Experiência espetacular.
Tudo que sobe, desce. E lá fomos nós descer todos aqueles degraus, mas muito satisfeitos e já mais apaixonados por Paris. Agora era a hora de conhecer o interior da igreja. A visitação é gratuita.

Alguns vitrais.
Cada canto é um detalhe.
Vitral do Sagrado Coração
Em vários pontos da basílica ficam essas velinhas, caso deseje acender uma é preciso pagar como uma doação.
Recomendamos demais a visita a Sacré-Cœur, passeio completo e lindo, reserve metade de um dia para conhecê-la com calma.
Na volta, pegamos a escadaria principal, que funciona como um parque, cheia de banquinhos.

Comprando o Museum Pass

Aproveitamos que encontramos, bem na saída do metrô, um Centro de Informações ao Turista (Point Information Tourisme), e compramos nosso Paris Museum Pass. Outros lugares para comprar são os museus e aeroportos. Com esse pass você pode visitar várias atrações, entre museus, monumentos e até Versalhes, apenas apresentando o cartão. Vale muito a pena, pois além de sair mais barato, em alguns lugares você pode até furar a fila (furamos para subir no Arco do Triunfo).


Os valores das entradas avulsas, em comparação ao cartão (valores de 2016).

 
Compramos o pass de 4 dias. Apesar de termos comprado no dia 02/05, só colocamos no cartão a data de 03/05 e é assim que é feita a validação. Sem burocracia. Mais detalhes no vídeo abaixo, e caso tenha mais dúvidas comente aqui no post!


Fazendo o cartão Navigo Découverte

Museum Pass resolvido, o próximo item crítico seria o cartão de metrô (na verdade para todo o transporte público local, ônibus, trens, etc.), o Navigo Découverte (descoberta). Este é o cartão para não residentes em Paris. Foi um verdadeiro desafio tirá-lo por 3 motivos:
  1. Não pesquisamos direito antes (apesar do extenso planejamento);
  2. Ele não fica visível no box de atendimento na estação de metrô, eles deixam a propaganda apenas do Navigo normal, que é para residentes. Mas pode perguntar que o atendente saberá o que é.
  3. Não sabíamos que tinha que ter foto (3x4 ou passaporte - o tamanho é 3cm x 2.5cm, eles cortam) para o documento, que é pessoal e intransferível (mais sobre isso a seguir).
Então existem 2 tipos de cartão Navigo Découverte: O semanal e o mensal. Mas fique atento: o semanal vale de Segunda à Domingo independentemente do dia que você comprar! Mas é tão bom o desconto que mesmo comprando ainda na quarta-feira pode valer a pena (demos sorte porque chegamos no sábado e só precisamos rodar mais de metrô na segunda). 

Valores: 5 euros para confeccionar o cartão + carga de 22.15 euros. Total: 27.15 euros.

Esse valor cobre as zonas de 1 a 5 do metrô, ou seja, todos os setores. Para nós que temos um fiapo de linha de metrô, esse conceito de zonas pode não ser familiar. Por lá, quanto mais longe o destino, mais caro, então há divisão por zonas. O que barateia a passagem para quem roda pelo centro. O castelo de Versalhes, por exemplo, fica na zona 4, e o aeroporto Charles de Gaulle, na zona 5. Encontramos essa imagem que descreve essas zonas.

Pois bem, agora pedimos licença para contar um pequeno "causo". Como estávamos sem fotos, seria preciso tirá-las. E olha que sorte, tinha uma máquina daquelas automáticas ali mesmo na estação! Resolvido certo? Errado.

Cabine fotográfica, Photomaton, nada mais francês, como sabem os fãs de Amélie Poulain. Se não conhece o filme, assista, é muito fofo. 
Nossa experiência não foi tão poética quanto o filme, mas foi engraçado. Primeiro: O conjunto de fotos custava 5 euros (não converte...), aí, lá se foi boa parte do desconto do passe. Segundo: A máquina era em francês foi meio difícil decifrar tudo. Terceiro: Não tínhamos o valor trocado, então fomos em uma vendinha para trocar pela nota de 5. Aí, foi mais gasto para comprar alguma besteira e receber o troco. E o relógio passando... Quando conseguimos tirar as fotos, já estávamos atrasados na programação. Mas faz parte rs. Se você puder leve a sua!

  
Enfim, os cartões. As mais lindas fotos da viagem kkk. Mesmo em Paris, uma 3x4 é uma 3x4.  Guardadinhos, pois servem por 10 anos, esperamos voltar antes disso :)

Champs-Elysées e Arco do Triunfo

Depois de cumprir os 2 desafios do dia, era hora da recompensa, fomos almoçar no Vesuvio, uma pizzaria italiana para comer aquela comida da segurança (em vários momentos da viagem, na dúvida, comíamos em restaurantes italianos, principalmente no Reino Unido).
  
Na primeira foto, Meteor, cerveja francesa que o Neuton provou e aprovou. E a sobremesa, a melhor Panna Cotta da viagem. O prato principal (um espaguete à carbonara e uma lasanha) não fotografamos, acho que foi a fome kkk.

Depois do almoço, fomos conhecer o Arco do Triunfo (nome completo Arc de Triomphe de l'Étoile), não subimos, pois ainda não havíamos ativado o Museum Pass. Mas tiramos umas fotos legais, e nos surpreendemos com a imensidão do monumento, e na quantidade de detalhes esculpidos. 
Dica! Não tente atravessar o balão para chegar ao Arco. Existe um túnel subterrâneo (na foto) que leva até a praça Charles de Gaulle. 
Demos sorte, estava acontecendo um evento em homenagem a algo (não descobrimos o quê) nesse dia. Repare nos senhores e nos estudantes todos paramentados na foto acima.
Tributos no Túmulo do Soldado Desconhecido
Uma publicação compartilhada por Blog de Viagens🍍Travel Blog (@pinablog) em

  
Esculturas no Arco, e sua lateral, que é vazada. O arco possui 4 colunas.

Este é o teto do Arco. Ele é todinho ornamentado. Procuramos bastante qual é o significado dessas flores, pois a vimos em outros monumentos, mas não encontramos, se alguém souber, comenta pra gente. 
Vale muito a pena conhecer a Champs-Elysées (acabamos nem passeando tanto nela, pelo tempo perdido tirando o Navigo) e o Arco do Triunfo. Grandes cartões postais de Paris.

Fim do dia

Voltamos para o hotel para nos encontrarmos com nossos amigos Micheli e Rafael (fomos ao casamento deles em Porto Alegre - veja o post - e agora estávamos em sua lua de mel rs). Saímos para jantar novamente perto do hotel, na Praça de Clichy. Notamos que a maioria dos restaurantes dali vendiam mariscos. Infelizmente nenhum de nós é fã (caso você seja, está aí o lugar para comê-los em Paris). Depois de rodar um pouco, entramos em um restaurante belga, o Léon de Bruxelles  (curiosamente eles iriam para Bruxelas depois de Paris).
Nosso pedido, um mix de entradas, não gostamos muito. Achamos tudo muito forte. Mas foi questão da culinária mesmo, o restaurante é legal. 
"Não há elevador para o sucesso. Você tem que pegar as escadas". Agradecemos a companhia e até o próximo post!

 Dica Bônus #1  Acabamos seguindo demais o Google Maps, perdemos algumas atrações do bairro Montmartre ao sair da Sacré-Cœur. São elas: o Moulin Rouge, Le mur des je t'aime (O Muro do Amor) e o Le passe-muraille. Infelizmente não dá pra acertar tudo rs. Fica a dica pra você!
  


 Dica Bônus #2  Prepare-se para muitas inspeções de segurança (revistas). Infelizmente, devido aos ataques terroristas, a segurança está reforçada, em todos os lugares as bolsas são revistadas. Então evite andar com objetos desnecessários. Além de evitar a dor nas costas, evitará dor de cabeça. Também não se espante caso veja policiais ou militares com metralhadoras nas ruas. Mal necessário.

 Dica Bônus #3  Outro lugar que planejamos conhecer, mas não foi possível porque o dia acabou sendo cheio, foi o Parc Monceau, ele é um parque muito lindo e ficava perto do nosso hotel. Uma pena. Mas fica a dica para você, e para a gente em uma próxima visita! O tempo também estava meio chuvoso, não deu para visitarmos. No verão deve ser uma delícia "largatixar" por ali. Fica perto da estação de metrô "Monceau".

 Dica Bônus #4  No nosso hotel não tinha café da manhã, mas em Paris o melhor é mesmo ficar pelas boulangeries, as padarias francesas. Experimentamos o tradicional petit déjeuner, o café da manhã francês, em uma delas. A que comemos ficava ao lado do hotel, chamada Pearl. Pedimos a clássica baguete. E surpreendentemente ela vem fria, nada de pão quentinho como por aqui. Mas é gostosa, apesar de não ter a mesma consistência do nosso pão francês. Também tem a opção de pedir a versão recheada, virando um sanduíche com diversas opções de recheio. A fome estava grande, esquecemos de tirar fotos rs.

 Dica Bônus #5  Nesse dia, compramos nossos casacos Ultra Light Down da Uniqlo, a loja fica ao lado da Galerie Layaette. Só podemos dizer que os japoneses salvaram a pátria! A propaganda não é enganosa, ele resiste à água, é superleve, e você consegue dobrá-lo dentro da bolsinha, fica muito prático. Recomendamos demais, e o melhor, não é tão caro, o feminino custa 60 euros e o masculino, 70. Também compramos, na mesma loja, uns guarda-chuvas muito bons!

  • Compartilhe:

Veja também

0 comentários