Jardim de Luxemburgo + Pantheón, Museu Rodin + Les Invalides

Por Mayara Rosa & Neuton - novembro 25, 2017


No post de hoje contamos como foi a nossa visita ao famoso Jardim de Luxemburgo, ao Panteão, ao Museu Rodin e ao Museu do Exército. Foi um dia cheio, porém com muitas coisas lindas para ver! Acompanhe nossas dicas!

Chuva no Jardim de Luxemburgo



Nosso primeiro destino do dia foi o Jardim de Luxemburgo. Como ficamos até tarde na rua no dia anterior (para pegar o pôr do sol no Arco do Triunfo), resolvemos sair um pouco mais tarde.

Monitor com os horários dos trens, este é um dos mais antigos que vimos, já existem outros mais modernos. Mas está cumprindo a função, para que jogar fora né? Curiosidade: Com os europeus é assim, os minutos "quebrados" também contam.  
Chegamos ao lindo jardim... mas a chuva também chegou conosco! (Era pra ter feito cara de tristeza para a foto!)


Sentamos no banquinho esperando um pouco a chuva dar uma trégua, mas infelizmente ela foi insistente. Isso significa que não tiramos muitas fotos com a câmera. Mas, seguem alguns registros para vocês.

O Jardim de Luxemburgo na verdade é praticamente um parque, com uma área de 22 hectares (220.000m²). Mesmo com a chuva encontramos muitas pessoas correndo por ali.

Depois de uma corrida, que tal se pesar em uma balança pública? Repare que é paga. Pagar para ter notícia ruim? Não mesmo kkk. 
Uma das áreas que achamos mais bonitas. La fontaine Médicis é uma enorme fonte, cheia de detalhes encravados em sua extensão. 
Uma visão mais próxima da estátua (Polyphème surprenant Galatée dans les bras d'Acis) (Clique para ampliar a foto).
O Jardim é uma galeria de arte a céu aberto. Nele existem diversas estátuas, é uma delícia ir andando descompromissadamente e observar as obras. No site oficial há um mapa interativo com a localização de todas elas.

Le faune dansant de Eugène Louis Lequesne (1814-1887)
Mesmo com a chuva, nos encantamos com o Jardim de Luxemburgo. Recomendamos a visita. É um lugar tranquilo para fazer um passeio, e se estiver sol, de repente até fazer um piquenique! Colocamos abaixo uma visão 360º de outra área muito bonita, os espelhos d'água, eles ficam cheio de patinhos. É um charme.


No 360º acima, é possível ver o Palácio de Luxemburgo, atual Senado Francês. Ali perto também fica o Museu do Luxemburgo, que nós não visitamos, mas que é bastante elogiado, caso você tenha tempo vale a pena visitar.

 O grandioso Panteão


Na foto de abertura do post (veja novamente abaixo em nosso insta) é possível ver a cúpula do Panteão, ainda quando estávamos do Jardim de Luxemburgo. É isso aí, duas ótimas atrações são vizinhas (mapa acima)! Essa grande cúpula destaca-se na silhueta de Paris em vários outros pontos.


Micheli na entrada do Panteão e alguns jovens fazendo um bike tour (fica a dica, no verão deve ser uma boa!)
De perto as enormes pilastras impressionam.
Por dentro os detalhes também nos impressionaram. Todas as paredes têm lindas obras de arte com vários momentos de glória da França.
A cúpula vista por dentro.
Visão mais próxima da cúpula. Nela está a obra "A apoteose de Santa Genoveva". 

Uma atração interessante no museu é uma réplica do Pêndulo de Foucault. Este experimento demonstrou em 1851 a rotação da Terra. Trata-se de um pêndulo que marca a hora de acordo com a rotação do planeta. Como a cúpula do Panteão fica a 84m de altura, a movimentação do pêndulo altera-se o suficiente durante as 24h. Curiosidade: Estávamos encantados com a ciência, até que teve uma hora que percebemos que o relógio estava um pouco atrasado, então chegou um funcionário e pegou a bola e apenas reajustou manualmente. Fim da magia rs.


Demonstração do funcionamento do Pêndulo de Foucault (fonte: Wikipédia). 
Mas o que é o Panteão? Originalmente uma igreja, hoje é um mausoléu secular (não religioso) que contém os restos mortais de cidadãos franceses de destaque em diversas áreas, como ciência, arte e filosofia.
Túmulo de Louis Braille. Inscrição (em tradução livre): "Àquele que abriu a todos as portas do saber que lhe fora roibado". Alguns deles são interativos, com algumas informações em áudio.
Estátua simpática de Voltaire em frente a sua cripta.
O frio dentro das criptas é grande! Vá preparado.
  
Mayara e o aquecedor. Uma história de amor em 2 capítulos (rosto e pés). Um alívio depois das catacumbas rs.

Amamos o Pantheón. Atração recomendadíssima. Pela grandiosidade do próprio prédio, pelas obras que ficam em seu saguão, e também pelas personalidades ali homenageadas, muitas são conhecidas nossas da escola e faculdade :).

 L'Entrecôte 



Chegou a hora de almoçar. Nosso último almoço em Paris teria que ser um clássico. O Neuton lembrou do Entrecôte (que já tínhamos comido e gostado em Brasília). Para quem não conhece, o Entrecôte é um corte nobre da carne bovina. Mas o detalhe do Entrecôte de Paris é o delicioso molho que acompanha a carne. E, é claro, as batatas fritas que são servidas em abundância.  

Pesquisamos e, para nossa sorte, um dos mais tradicionais restaurantes que serve este prato, le "Relais de l'Entrecôte", ficava logo ali no 6ª arrondissement. Deu para ir a pé do Panteão (veja no mapa acima). 

Demos sorte 2 vezes, pois o restaurante costuma ser cheio, e conseguimos lugar para os quatro sem problemas. Aliás, em todos os lugares que chegamos de "última hora" conseguimos entrar sem espera.  Havíamos lido que isso era impossível em Paris. Boa notícia. Pelo menos pra quem vai na "baixa temporada" como nós.

O único item no cardápio é o Entrecôte, mas não decepcionou. Carne macia e no ponto. Molho saborosíssimo e as clássicas french fries (apenas "frites" em francês) estavam maravilhosas. E também um saboroso vinho para acompanhar.

O cardápio de sobremesas, por outro lado, é bem variado.
Escolhemos o "Le profiteroles au chocolat". Estavam deliciosos.
Recomendamos demais o Le Relais de l'Entrecôte. Comida saborosa e bem servida (pode repetir), também acompanha salada. Achamos o preço justo (26,5 euros por pessoa). Atendimento rápido e ambiente agradável. Acesse o site oficial para conhecer um pouco mais.

 Museu Rodin e seus jardins

Depois do almoço, seguimos para o Museu Rodin. Mais uma atração incluída no Paris Museum Pass. Este é um Museu um pouco diferente, pois várias obras ficam expostas no jardim da mansão, sendo um dos locais mais lindos de Paris.

Neuton pensando aos pés do "Pensador", obra mais famosa de Rodin.
O que o coelhinho foi fazer do outro lado da rua?
O jardim é muito bem cuidado, muito arborizado.
As obras de Rodin são famosas por seus detalhes e "movimento", em um material difícil de conseguir isso até então, o bronze. 
O Jardim é um ótimo lugar pra fotos românticas rs.
Linda escultura em argila de Rodin. Existe também uma área interna do museu, dentro de uma mansão. Essa área apresenta diversas obras do artista e também de outros que pertenciam a sua coleção.
Outra obra famosa de Rodin, L'ombre / The Shade. Ao fundo, a cúpula do "Les Invalides", nosso próximo destino.

 Museu do Exército / Les Invalides 



O Museu do Exército é um enorme complexo que fica ao lado do Museu Rodin. Outra ótima dica de dobradinha! Infelizmente chegamos tarde. Já estavam fechando. Mas ainda deu para entrar e conhecer um pouco.

Um detalhe da arquitetura do prédio. Ao fundo, a cúpula de ouro da igreja Les Invalides destaca-se. Nela estão os túmulos de alguns heróis de guerra da França, Napoleão entre eles.  

Visão mais próxima da estátua de Napoleão em sua famosa pose com a mão dentro da farda.
O museu possui várias armas históricas em seu acervo. Só conseguimos ver alguns canhões do lado de fora rs
Infelizmente não conseguimos chegar a tempo para entrar na igreja e ver o túmulo de Napoleão. Mas o Google está aí pra isso né? Veja no 360º abaixo.


"Decidi ser feliz porque é bom pra minha saúde - Voltaire". Até o próximo post!



Dica Bônus #1 Como dissemos no post anterior, estávamos utilizando o Samsung Health para marcar os passos que demos por dia. Este dia foi o recorde! Mais de 30.000 passos. O equivalente à 21km, uma verdadeira meia-maratona em Paris! Mas esse dado conta também com nossa visita a Torre de Montparnasse, assunto do próximo post!




Dica Bônus #2 O Neuton ficou ruim da garganta durante a viagem. Fica a dica de francês: "Je suis maux de gorge" significa "estou com dor de garganta". A farmacêutica entendeu direitinho e deu um remédio ótimo. Achamos diferente porque não era xarope e nem pastilha. Era comprimido mesmo. Tiro e queda. Chama-se Drill (foto abaixo).


O salvador da garganta!

  • Compartilhe:

Veja também

0 comentários