Museu do Louvre, em busca da Mona Lisa

Por Mayara Rosa & Neuton - julho 23, 2017

Missão (o retorno): Encontrar a Mona Lisa!
Olá, amigos! Neste post vamos falar um pouco sobre nossa visita ao Louvre! Museu incrível, tanto pelas obras que ostenta quanto por sua arquitetura. Foi muito legal conhecê-lo.

Nossa primeira visão do Louvre foi no dia da viagem do Vale do Loire (confira aqui o post). Passamos por ele de Uber, o dia ainda amanhecia, as luzes refletiam na pirâmide. Foi impressionante. Parecia que havíamos sido transportados para um filme. Ficamos ansiosos para visitá-lo.
A grande Pirâmide. Entrada principal do museu.
Saímos cedinho e pegamos o metrô. A fila da entrada não estava muito grande. O museum pass também dá acesso ao Louvre (explicamos como tirá-lo aqui).

Detalhe do Palácio do Louvre.
Patinho simpático nadando na fonte.
Uma publicação compartilhada por Blog de Viagens🍍Travel Blog (@pinablog) em


A pirâmide vista por dentro.
A pirâmide invertida (La Pyramide Inversée).
Foto de turista no quase encontro da Pirâmide Invertida com a Pirâmide de Pedra. Cantinho disputado para registrar.
Pirâmides devidamente conhecidas e fotografadas, pegamos um mapa gratuito do museu e não pegamos o audioguia, era pago e não teríamos mesmo tempo de fazer uma visita calma como se deve (até porque dizem que para conhecer todo o museu do Louvre são necessários 6 meses ininterruptos).

Era a hora de começar a saga ao encontro da Mona Lisa. E já começamos mal rs. Lemos no Viaje na Viagem, do Ricardo Freire, que o melhor lugar para chegar até o famoso quadro era pela entrada da Pirâmide. Já naquele clima de Código da Vinci, achava que era uma entradinha secreta, algo que ninguém saberia kkk, aí andamos procurando, até que encontramos uma escadaria ao fundo e resolvemos subir. E demos de cara com uma porta de saída! É que na verdade a pirâmide principal apenas nos leva ao átrio que é uma área de livre acesso, nela ficam várias lojas e alguns restaurantes. Voltamos, entramos em um corredor e passamos (de novo) pelo detector de metais. Depois dessa volta em círculo, entendemos que para ir mesmo para o museu, o caminho é a escadaria central do átrio (onde todos entram).

(Foto: Viaje na Viagem)
Aí sim, foi só seguir o mapa, e conforme nos aproximamos da La Joconde, começam a aparecer plaquinhas com setas que indicam o caminho. Até que finalmente você chega na sala e vê aquele amontoado de gente e sabe que está no lugar certo (foto acima).
Ali ao fundo (acredite) está a Mona Lisa! Foto de nossa amiga Sonia que visitou o Louvre em Junho/2017. Ainda não é o auge da lotação e eram 19h (às quartas e sextas o museu fecha 21h45).
Nessa hora quem tem experiência com micaretas leva vantagem (não é nosso caso). É só empurrar um ali, acotovelar outro acolá e sair espremido até chegar no front e tirar a foto perfeita! Certo?
Errado! A minha foto ficou tão estranha que só deu pra aproveitar a orelha kkk.
 
Mona Lisa, diga xis! (Doug Funnie, quem lembra? :P)

Pronto! Missão cumprida agora podíamos aproveitar o resto do passeio em paz. Confira as fotos abaixo, com alguns detalhes que gostamos.

Roger délivrant Angélique - Jean-Auguste Dominique Ingres. Roger libertando Angelique. 1819. Este quadro nos chamou a atenção pois o cavaleiro está montando um hipogrifo. Vale a pena clicar e ver os detalhes da imagem. 
Detalhes do teto em uma das salas. O galgo esculpido com os detalhes das costelas é incrível. 
Mais arte no teto. Não cansa de nos derrubar o queixo. Com detalhes de ouro, essa obra fica na sessão dos Pintores Italianos (valeu Tartarugas Ninjas :P) em uma sala próxima à da Mona Lisa. A obra pertence ao francês Charles-Louis Müller
O acervo de esculturas do Louvre também é gigantesco. 
Gigantesca estátua da deusa Atena (Athena de Velletri), com 3 metros de altura. Na boca e nos olhos ainda há vestígios da coloração vermelha original.
Mais uma das obras primas e peças-símbolo do Louvre: Vênus de Milo de Alexandre de Antioquia. Realmente impressiona pelos detalhes. 
 
A seção egípcia do Louvre é um show à parte. Na foto, a famosa múmia de um homem. Bem nojenta preservada, é a única em exposição.
Antiguidades egípcias.
Passamos a manhã toda no Louvre, e podemos dizer que foi demais. Realmente é um museu diferente, cheio de surpresas e passagens. Vale conhecer e, se possível, revisitar várias e várias vezes!

Extra: 2 clássicos franceses Le Soufflé e Les Macarons

Saímos do Louvre, e fomos almoçar pela região. Arriscamos um restaurante chamado Le Soufflé, pois ficava na esquina do Pierre Hermé, onde compraríamos os macarons (mais sobre isso já, já). Grata surpresa! Restaurante aconchegante, sem fila, bom atendimento, preço justo, e para coroar tudo, delicioso suflê!  


 
Suflê salgado de prato principal e suflê doce de sobremesa!

Encontramos este curioso vídeo, disponível no site oficial do restaurante, mostrando um pouco da preparação do suflê. É curtinho, vale apena ver. Obs: en français.


No TripAdvisor o Le Souffle está muito bem avaliado. E está na posição #153 entre os mais de 14.500 restaurantes de Paris (colocação excelente e assinamos embaixo!). Satisfeitos, seguimos para o Pierre Hermé, a loja mais famosa dos Macarons.

Fachada da loja. É bem chique, não tínhamos nem roupa para isso, mas fomos bem atendidos rs.
Enfim, macarons. São gostosos, mas não é nada de cair o queixo. Pelo menos nada de cruzar o oceano para encontrar.
 
Compramos também uns bombons de caramelo salgado que estava curiosa para provar, deliciosos! 
"Ande em boa companhia - ou seja, vá ao Louvre" - Paul Cézanne. Mais uma vez, agradecemos sua visita! Esperamos que tenha gostado!  


Dica Bônus #1 Quer conhecer um pouco mais do Louvre? Visite o ótimo site oficial, lá você também encontra Mapas Interativos, onde dá pra ter uma noção da enormidade do museu.





Dica Bônus #2 E falando em mapas, uma das coisas legais que tem no Louvre (e também em outros museus que visitamos nessa viagem) são os destaques no mapa da planta (veja na imagem abaixo), em cada área eles já te dão a "dica" do que não pode deixar de ser visto. Para gente que, infelizmente, tem tempo cronometrado para as visitas, isso ajuda muito.


Dica Bônus #3 Como dissemos no post, não pegamos o audioguia, mas depois de espiar o dos chineses rs, reparamos que era um Nitendo DS com um navegador virtual (queríamos kkk). Então tivemos ideia de procurar um aplicativo, e tinha! Com navegador e tudo (e grátis). Quando visitar, fica a dica, baixe o aplicativo oficial, My Visit to the Louvre!

   My Visit to the Louvre- screenshot      My Visit to the Louvre- screenshot   
Dica Bônus #4 Banheiros. Achar a Mona Lisa é moleza, um banheiro, nem tanto. Mas mesmo assim se puder evitar aqueles que estão logo na entrada, vale a pena. É divertido também utilizar as obras como ponto de referência para banheiros no mapa kkk.

Dica Bônus #5 No final desse dia, ainda demos um pulo na Decathlon e ficamos surpresos com os bons preços! Para quem não conhece a loja, ela vende todo tipo de produto para esporte e viagem. Nossa amiga Liliam que nos apresentou. E compramos essa mochila de 20 litros, da Quechua, com vários compartimentos por apenas 8 euros. Também compramos a capa de chuva de mochila, que nos salvou no restante da viagem. Vale a pena!

  • Compartilhe:

Veja também

0 comentários