Um dia em Versalhes (muitas fotos)

Por Mayara Rosa & Neuton - julho 15, 2017

Hoje vamos falar sobre nossa visita ao Palácio de Versalhes. Lugar surreal e um dos mais visitados da França! Gostamos muito de conhecer toda a megalomania de Luís XIV. Acompanhe conosco!

Saímos cedinho do hotel, e fomos direto para o metrô. Não tem segredo para chegar a Versalhes, é super fácil, do nosso hotel até lá, foi um pouco mais de 1h. Mas, foi necessário fazer uma baldeação para pegar o trem de superfície até a Gare de Versailles.
Pausa para o café no metrô. Surpreendentemente um dos melhores chocolats chauds foi na Relay. Nossa amiga Micheli também ficou apaixonada pelo pan au chocolat (pão doce com recheio de chocolate), não deixe de provar. 
 
Como dissemos, não tem segredo para chegar né? Mas a gente conseguiu errar o trem! Em algumas estações as linhas bifurcam, então não é só pegar o próximo, confira nos monitores o horário do seu trem, e repare também no letreiro dele, ao chegar.
Mas no fim foi legal errar, paramos em uma fofa (porém gelada) estação. Aproveitamos para fazer fotos.

A vista do trem é muito legal, então a viagem passa rapidinho. Chegando na estação de Versalhes, já tem alguns guias indicando o caminho certo para o palácio. Siga o fluxo. É uma caminhada de uns 20 minutos, pena que chovia, então esteja preparado com seu guarda-chuva se a previsão indicar tempo fechado.
Gare de Versailles - Chateau Rive Gauche (para o palácio, saída esquerda).
Quando você chega na entrada, é feita a revista (como em todos os demais museus/monumentos). No pátio externo já dá pra ter uma noção da quantidade de ouro que foi depositada ali.
Filinha grande, mas andou rápido. O Museum Pass garante a entrada (veja mais informações sobre ele neste post).
Ao entrar no palácio, você recebe um áudio guia. Gostamos muito desse esquema, infelizmente muitos guias perderam o emprego, mas é bem melhor. Não tem que se acotovelar com ninguém para ouvir e você anda à vontade, e pode pular o que não quiser escutar rs.


Na primeira sala é apresentado um vídeo que conta um pouco da história da construção do palácio. Vale a pena assistir. Depois você fica livre para explorar o complexo. A visita funciona mais ou menos assim: você entra em uma sala e pensa "essa é a sala mais luxuosa que já vi na vida, não é possível". Até você entrar na próxima.
Órgão da suntuosa Capela Real.

Olhando para os jardins por uma das 2.153 janelas do palácio.
Novamente os medalhões decorativos no teto, muito parecidos com os do Arco do Triunfo (veja o post), mas agora de ouro, claro.
Retratação fiel do "Rei Sol" (Luís XIV). Curiosidade: As pessoas que queriam falar com o rei não podiam bater à sua porta. Em vez disso, usando o dedo mindinho da mão esquerda, tinham que arranhar suavemente a porta, até que lhes fosse dada permissão para entrar. Como resultado, muitos deixaram crescer mais as suas unhas que outros. (Wikipedia)
Mais para o final do tour do palácio, chegamos a mais famosa sala, a Galeria dos Espelhos! É realmente muito incrível. Com seus diversos lustres, as pinturas e detalhes no teto, as estátuas, o ouro. E é claro, os gigantescos espelhos que refletem os jardins. Dá para imaginar Luis XIV com seu salto alto desfilando por essa Galeria. Infelizmente, quase sempre ela fica apinhada de turistas, mas se você já for com esse espírito não irá decepcionar-se rs.



A famosa Galerie des Glaces - Galeria dos Espelhos 
Aproveitamos os espelhos para fazer a selfie da turma completa.
  
Bumbunzin de ouro :P
Terminamos o tour, e a fome já estava grande. Gastamos por volta de três horas para conhecer todo o palácio. Fomos em todas as áreas internas. Ufa.
Estilo blogueirinha em uma das 67 escadas do Palácio de Versalhes!
Ainda faltava conhecer o jardim, mas primeiro fomos almoçar. Na verdade, lanchar. Lá dentro existem alguns restaurantes. Você pode ir em um mais formal (e mais caro) ou ir a lanchonete.
Na lanchonete, é possível comprar um combo por 7 euros. Sanduíche + água + um bolinho.

 
O lanche não foi dos melhores não, sanduíche bem sem graça. E até as sobremesas, que comemos com os olhos, estavam bem ruins. Luis XIV já os teria eliminado rs. Mas deu pra satisfazer a fome e seguir para a parte dois do tour. Os jardins!
Portão que leva aos jardins. Esperamos um tempinho, mas a chuva não deu trégua :(
Como éramos quatro, a ideia era ter alugado um dos carrinhos de golfe (à la projac). Mas chuva e veículo aberto não é a melhor combinação. Fomos salvos pelo Petit Train. Trenzinho que faz o circuito por todo o bosque até os palacetes Petit e Grand Trianon. Você pode descer em todas as paradas e ficar o tempo que quiser, só não perca o último trem das 18h50 (no inverno 17h10) senão terá que voltar andando os 800 hectares rs. 
Circuito do Petit Train do Jardim de Versalhes. 
Trenzinhos dos Jardins (fonte: TripAdvisor). A entrada custa 7.5 euros por pessoa. 
Uma das várias estátuas do jardim.
Palacete, Grand Trianon. Utilizado por Luís XIV como um refúgio do palácio de Versalhes.

Vista do palácio do Grand Canal.

Recomendamos bastante a visita a Versalhes. Não pesquisamos muito antes, pois sabíamos que é daqueles lugares "tem que ir", e agora entramos no coro e dizemos "tem que ir".
A chuva não deu folga, mas nos divertimos!
Terminada a visita, já era aproximadamente 19h, então procuramos um lugar próximo à estação para jantar. Resolvemos entrar no Au Duc de Bretagne. Restaurante e Creperia.

 
Cidra na tradicional xícara, chamada bolée. (Não faça como a gente e pergunte onde está o copo para a cidra rs). Ao lado, uma sopinha de cebola.

 
Experimentamos o Galette - recheio salgado e Crepe - recheio doce. Ficamos na dúvida sobre o que exatamente era o Galette, ele é mais fino que o crepe, e o sabor lembra omelete. Mas a cor escura é devido ao trigo sarraceno. Saiba mais sobre isso aqui

Como já era mais tarde, estávamos só nós no restaurante, ficamos satisfeitos com a comida, não é tão barata, mas era cômodo. Recomendamos.

Hora de ir! Mais um dia fantástico na França.

"Viajar - te deixa sem palavras, e então te transforma em um contador de histórias", Ibn Battuta. Até o próximo post amigos, falaremos sobre o Louvre! Como sempre, agradecemos a companhia! Veja o que ainda virá no Índice de Posts. 

 Dica Bônus #1  Se o tempo estiver bom, dê prioridade a conhecer os jardins. Saia cedo de Paris, e tome café apreciando os bosques. Se estiver em grupo, alugue um carrinho de golfe!


 Dica Bônus #2  Muito cuidado com as placas de "proibido", em vários lugares, caso você as ultrapasse, não poderá retornar! Parece uma dica óbvia, mas não é. Muitas vezes ela não é muito grande, ou fica dúbia a indicação. Aprendemos a lição em Versalhes. Saímos para uma área em direção aos jardins, estava chovendo, tentamos retornar... e nada feito. A partir daí tomamos mais cuidado em outros museus.

 Dica Bônus #3 
 Lá você vai andar muuuito, o cansaço irá bater sem dúvidas. Recomendamos não levar a mochila muito pesada neste dia (isso vale para a grande maioria dos passeios na Europa, na verdade).

 Dica Bônus #4 
 Nós fomos de trem, mas caso você esteja de carro, é muito fácil chegar a Versalhes. Como dissemos no post do Vale do Loire as estradas são ótimas e muito bem sinalizadas. Existem várias opções de estacionamento, mas são pagos. Nossa amiga Sonia utilizou o estacionamento Place d'Armes, que fica na "porta" do palácio. Custou 10 euros por 3 horas (aproximadamente).

 Dica Bônus #5 
 Essa dica foi da nossa amiga Andréa. Caso queira saber mais sobre todas as intrigas histórias dos bastidores da construção desse palácio, ela recomenda a ótima série Versailles. Aqui no Brasil está sendo exibida pela GNT (também disponível no NET Now). Pelo trailer abaixo dá pra ver que é sensacional!! Vamos maratonar!

  • Compartilhe:

Veja também

0 comentários