Nossos equipamentos de fotografia/filmagem

Por Neuton Martins & Neuton - janeiro 14, 2018 -

equipamentos fotografia nikon drone dji
Fotografar virou nosso hobby desde que começamos a viajar, e, daí em diante, temos comprado muitos equipamentos para registrar nossos momentos. Neste post iremos mostrar estes equipamentos para, quem sabe, ajudá-los a decidir o que usar para registrar suas viagens e outros momentos importantes.

Preciso de uma câmera grande e pesada?

Antes de mais nada, é preciso esclarecer essa dúvida que é totalmente pertinente no contexto atual, pois, com as câmeras dos smartphones cada vez mais capazes talvez você realmente não precise de uma câmera dedicada para registrar seus momentos. Mas, iremos elencar 3 grandes motivos para se usar uma câmera dedicada com lentes intercambiáveis (caso já esteja convencido, clique aqui para pular direto para nossos equipamentos):

1) Fotos noturnas ou em ambientes escuros

Não adianta, por mais que as câmeras de smartphones tenham evoluído, elas ainda estão muito atrás quando se fala de fotos noturnas ou em ambientes escuros. Isso acontece por um simples motivo: nesse caso, tamanho é documento!

O sensor da câmera de um smartphone é minúsculo quando comparado ao sensor de uma câmera Full-Frame ou mesmo APS-C (esses são os dois formatos mais comuns de câmeras com lentes intercambiáveis, sendo o Full-Frame derivado do tamanho dos antigos filmes fotográficos, 35mm). Vejam a imagem abaixo, que explica a diferença dos tamanhos dos sensores:
Tamanho dos sensores de diferentes câmeras. Fonte: Wikipédia.
Vejam a diferença entre o APS-C e o sensor de um smartphone (1/2.5"). Um sensor maior recebe mais luz e, por isso, gera menos ruído ao tirar fotos num ambiente noturno, gerando melhores resultados.
Essa foto noturna não teria tamanha qualidade se fosse tirada num smartphone.

2) Lentes

As lentes presentes nos smartphones são fixas e normalmente possuem um grande ângulo de visão, ao contrário das câmeras com lentes intercambiáveis que possuem uma infinidade de possibilidades. Basta comprar uma lente nova e novas possibilidades criativas se abrem. Além disso, as câmeras com lentes intercambiáveis possuem lentes do tipo zoom, que, na prática, viram várias lentes em uma. Por exemplo, ao comprar uma boa zoom 17-55 f/2.8 (falaremos mais sobre lentes desse tipo ainda neste post) você "ganha" uma boa lente 17mm, uma boa lente 24mm, uma boa lente 35mm e uma boa lente 50mm, tornando-se assim muitas lentes e com diferentes possibilidades de composição e criatividade.

Outra vantagem é que a ótica empregada nas lentes de câmeras tende a ser melhor. Aqui, novamente o tamanho é documento, já que é preciso miniaturizar as lentes para caber nos smartphones.

Outro exemplo é o famoso efeito Bokeh (desfoque de fundo), que não se encontra com facilidade nos smartphones, apesar de, felizmente, os smartphones terem inovado nos últimos anos ao utilizar duas lentes para simular o efeito Bokeh (famoso modo retrato dos iPhones), mas o resultado é bem questionável. Também existem projetos interessantes como a câmera Light, que integra diversas lentes em uma única câmera do tamanho de um smartphone, criando um verdadeiro "monstrinho" (figura abaixo). Entretanto, as câmeras com lentes intercambiáveis ainda estão num patamar acima de qualidade.
Câmera Light. Fonte: https://light.co/camera

3) A experiência

Por último, fotografar utilizando uma câmera DSLR (digital single-lens reflex) ou Mirrorless (câmera também com lentes intercambiáveis, porém mais compacta) proporciona uma experiência diferente e mais envolvente do que fotografar com smartphones. Claro que isso é totalmente pessoal, mas recomendamos a todos experimentarem a sensação de colocar seu olho no visor de uma câmera e sentir a conexão com o enquadramento e o sujeito da sua foto, é uma sensação diferente.

As possibilidades criativas também são maiores, pois você possui mais controle sobre cada variável que compõe sua foto (ISO, Abertura, Velocidade do Obturador, etc). Além disso, depois de tirada a foto, você se envolverá ainda mais com ela ao realizar a pós edição das suas fotos em formato RAW (também é possível tirar fotos RAW em smartphones, porém quando se trata de possibilidades de recuperação de detalhes não há comparação com os resultados de uma câmera Full-Frame ou APS-C).

Nossos equipamentos

Agora vamos ao que interessa, segue a lista dos equipamentos que usamos e um breve histórico da escolha de cada um, que poderá te ajudar na escolha dos seus equipamentos.

Nossa Câmera



Nikon D5300

Assim que decidimos viajar para o Chile em 2015, nós resolvemos fazer um curso básico de fotografia. Já estávamos decididos a comprar uma câmera, e como o curso teria recomendação de compra de equipamentos, nós fomos fortemente influenciados a fazê-lo nesse momento. O que foi ótimo, pois nos ajudou a traçar um caminho nesse mundo de possibilidades que são as câmeras.

Fizemos o curso básico de fotografia no Espaço f/508 (se você for de Brasília, recomendamos muito a escola). Durante o curso, tivemos contato e aprendemos a fotografar com câmeras Nikon que já haviam sido recomendadas na aula.

Depois dessa experiência ficou fácil decidir qual câmera comprar, naquele ano a escolha foi a Nikon D5300, uma DSLR de entrada, mas que possuía uma excelente qualidade de imagem para nós que estávamos começando. A câmera não é perfeita, por isso faremos a lista de seus prós e contras (que também se aplica a outras câmeras de entrada da Nikon, formato APS-C).

Prós:
  1. Câmera compacta, relativamente leve para o formato APS-C.
  2. Excelente sensor de imagem com 24 Megapixels.
  3. Ótima ergonomia, fácil de configurar e operar.
  4. Ótima duração de bateria.
Contras:
  1. A câmera não é boa para quem vai filmar muito, pois o foco no modo vídeo é do tipo "por contraste". Isso significa que ele é lento e fica "procurando" o tempo todo o ponto de foco certo.
  2. A Nikon diferencia as lentes para o formato Full-Frame e o formato APS-C, na prática isso diminui e encarece as opções de lente para quem quer ficar no formato APS-C. Felizmente, existem marcas alternativas como Sigma e Tamron que fazem excelentes lentes por preços justos para as câmeras APS-C da Nikon.

Nossas lentes

Assim que compramos a câmera ela veio com a chamada "lente do kit". No nosso caso foi uma lente 17-55mm com abertura f/3.5-f/5.6. Esse tipo de lente é um excelente ponto de partida para aprender a fotografar, tanto que nossa primeira viagem foi feita apenas com ela.

É possível tirar excelente fotos com essa lente, mas com o tempo é natural que se busque outras lentes para abrir novas possibilidades criativas. Conosco não foi diferente, vamos falar sobre as lentes adicionais que compramos.

Foto tirada com a "lente do Kit". Na maior parte do tempo o equipamento não é o mais importante, mas sim como manuseá-lo. Nesse caso o efeito "flare", que normalmente é evitado, foi usado como recurso criativo.
Nikon AF-S 35mm f/1.8

Essa é uma das lentes do tipo "prime" (lente que não é zoom e por isso apresenta melhor qualidade na distância focal para a qual foi projetada, nesse caso 35mm), que é quase obrigatória a compra. Com ela é possível tirar belos retratos e também tirar ótimas fotos de comida (sim, nós também gostamos de documentar nossas comidas rs).

Exemplo de foto mostrando o Bokeh da lente. A abertura f/1.8 permite tirar belas fotos em ambientes escuros.

Sigma 17-50mm f/2.8 EX DC OS HSM

Muita gente acha que o problema da "lente do Kit" é o fato de ser zoom ou a distância focal que ela abrange (17-55mm). Mas a verdade é que existem excelentes lentes zoom por aí que conseguem manter uma ótima qualidade em todo o range de zoom. Além disso, o intervalo de distância focal da "lente do kit" é o intervalo chamado standard, esse intervalo compreende as distâncias focais mais usadas na fotografia.

Um upgrade natural pra quem está se empolgando com fotografia é comprar uma lente zoom standard de melhor qualidade. Foi o que fizemos com essa Sigma, ela cobre o intervalo de zoom standard com uma abertura constante de f/2.8!

Isso significa uma liberdade de dar zoom sem ter que se preocupar com mudança de ISO ou velocidade do obturador, tudo ficará constante, só o enquadramento muda.

Compramos essa lente para nossa viagem à Europa e os resultados foram ótimos. Recomendamos muito pra quem tem câmeras Nikon APS-C pois é um excelente custo benefício.

A Sigma 17-50mm f/2.8 não desapontou em nossa viagem para a Europa.

Drone

Os Drones se tornaram um fenômeno mundial nos últimos anos e no final de 2016, quando a DJI lançou o DJI Mavic Pro, nós não tivemos dúvida, era esse drone que queríamos. Compacto para levar numa viagem e quase tão capaz quanto os drones maiores da DJI como o Phantom 4.

Fizemos a compra em março de 2017 e levamos para Europa, mesmo sabendo que poderíamos voar pouco, já que passamos a maior parte do tempo em cidades onde a regulação para voos é forte. Mas as poucas imagens que fizemos nos Highlands escoceses valeram o esforço de levá-lo.

Desde que compramos o Mavic a DJI lançou o Spark, que é um drone super compacto que não tem o mesmo alcance do Mavic Pro, mas atende 90% dos usos custando uma "pechincha" (no Brasil é possível comprá-lo no Walmart por um preço bem acessível). Não é por acaso que a DJI é líder mundial em drones para consumidores, se for comprar um drone compre um DJI, nem precisa pesquisar muito.

Não pense duas vezes, drone é DJI.

Confira abaixo o vídeo de nossa viagem na Europa. Veja até o final para ver as imagens de drone que fizemos.


Confira também nosso vídeo em parceria com o amigos do s2station em que visitamos a Chapada dos Veadeiros, nele também usamos muitas imagens de drone:


Câmera de ação e seus acessórios

Para câmera de ação também nem precisa falar muito, GoPro é unanimidade. Temos uma GoPro Hero 4 Silver, a primeira com telinha integrada. Compramos há uns dois anos atrás e não vemos a menor necessidade de upgrade (vai ver é por isso que a GoPro anda mal das pernas, depois que você compra uma não tem muito motivo pra fazer um upgrade).

Quanto a acessórios, temos um "dome", um excelente acessório para tirar fotos em águas cristalinas. Depois de muita pesquisa resolvemos comprar o dome da marca Acryflon, produto 100% nacional e que recomendamos. Vocês podem conferir imagens do "dome" no vídeo da Chapada dos Veadeiros acima e também na foto abaixo, que tiramos nas piscinas naturais de Porto de Galinhas.

O efeito do "dome" é muito bacana, quanto mais cristalina a água melhor o resultado.

Mochila

Durante nossa viagem para a Europa caminhamos bastante, o que é um prazer,  mas também descobrimos que a mochila que usávamos não era adequada. Carregar uma série de equipamentos fotográficos nas costas sem usar uma mochila adequada cansa rapidamente, além de causar dores.

Como estamos planejando nossa lua de mel e nela vamos fazer uma série de trilhas e aventuras, tivemos que pesquisar uma mochila que atendesse aos seguintes requisitos:
  1. Bom suporte no peito e na cintura para cansar menos durante longas caminhadas.
  2. Proteção para a nossa câmera com a lente e mais duas lentes extras, além do drone e seu controle.
  3. Ganchos para prender o tripé.
  4. Espaço para levar lanches e casacos leves.
  5. Proteção contra chuva.
  6. Espaço para garrafa d'água.
  7. Mochila leve e não muito grande.
Depois de muita pesquisa acabamos ficando com a empresa que é líder de mercado, Lowepro.
Eles tem uma mochila que atende perfeitamente as nossas necessidades, é a Flipside Trek BP 350 AW.
A mochila também traz extras muito bacanas, como, por exemplo, um pequeno apito que vem integrado ao clipe que prende a mochila no peito. A mochila também permite que você a gire na altura da cintura para manusear os equipamento sem ter que colocá-la no chão, daí vem seu nome Flipside.

Já compramos a mochila e tudo coube conforme planejado, agora é só esperar a lua de mel para colocar ela a prova.






Tripé

O tripé é um item essencial para tirar fotos de longa exposição, para brincar de astrofotografia e criar time-lapses. Ele abre um leque de possibilidades criativas.

Para comprar nosso tripé também foi necessário bastante pesquisa, pois não queríamos algo grande e pesado, mas ao mesmo tempo, um bom tripé tem que ser resistente e firme.

As melhores opções que encontramos foram o Manfrotto Befree Carbon e o MeFOTO Backpacker Classic. Esses dois tripés pesam pouco mais de 1 kg, que para os padrões de tripés é pouco.

Acabamos optando pelo Manfrotto BeFree Carbon pelo sistema de "clips", que é muito mais ágil na hora de montar e desmontar o tripé do que o sistema da MeFOTO, baseado em "roscas". Mas cuidado ao comprar esse tripé, ele só é recomendado para câmeras DSLR pequenas e mirrorless. Nada de Full-frames ou lentes pesadas aqui, ele não dá conta.

Manfrotto BeFree Carbon 
Sem tripé, sem time-lapse:


Aquisições futuras

Agora que falamos dos equipamentos que já temos, por que não sonhar um pouco?

Lentes

Para nossa próxima viagem de lua de mel queremos comprar uma lente que possibilite tirar fotos amplas de paisagens, além de permitir filmar espaços fechados de forma ampla. Para isso precisamos de uma lente ultra grande angular.

Pra nossa sorte a Tamron lançou recentemente uma excelente lente com as características que precisávamos. Trata-se da lente 10-24mm F/3.5-4.5 Di II VC HLD. Essa lente vem com o sistema de estabilização da Tamron, que é considerado um dos melhores do mercado. Isso vai ajudar a tirar fotos noturnas e também a capturar vídeos com a câmera na mão sem tantas tremedeiras.

Pretendemos comprar essa lente em Akihabara no Japão, pois ela é mais barata por lá!
Gimbal

No contexto de fotografia, um gimbal é um dispositivo que ajuda a estabilizar as imagens. Em nossas viagens temos usado muito o Instagram Stories e também gostamos de fazer vídeos com o smartphone. O problema é que os vídeos ficam bem tremidos. Um gimbal resolve isso deixando os vídeos praticamente perfeitos.

Pra nossa sorte (de novo!) a DJI acabou de lançar uma nova versão do seu gimbal para smartphones e entre as novidades está o preço, que caiu quase pela metade. Isso mesmo, um produto novo, melhor e mais barato! Esses Chineses não brincam em serviço.

O DJI Osmo Mobile 2 acabou de ser lançado, mas em março, quando iremos ao Japão na nossa lua de mel, ele já estará nas lojas e compraremos lá. O Osmo Mobile 2, além de estabilizar, é uma excelente ferramenta para fazer timelapses, motionlapses e hyperlapses. O resultado é incrível, esperamos conseguir extrair esse potencial da ferramenta. Vejam abaixo uma hyperlapse feita com o DJI Osmo Mobile 2.


Nova câmera

Por último, nosso sonho de consumo é mudar para uma câmera mirrorless. Esse formato de câmera surgiu para substituir as DSLR. Sem precisar do uso de um espelho, as câmeras ficam menores e mais leves. Por sua vez, as lentes para o sistema mirrorless também costumam ser menores e mais leves, justamente para tirar proveito das vantagens do sistema compacto das câmeras.

Nos últimos anos as câmeras mirrorless tem inovado fortemente, superando as câmeras DSLR quando se fala de vídeo e também não devem em nada quando se trata de fotografia.

Queremos migrar para um sistema mais leve e ao mesmo tempo ganhar qualidade. O melhor dos mundos. Mas... para isso acontecer o investimento é alto.

As melhores opções para as nossas necessidades seriam a Sony A6500 ou a Fujifilm X-T20. As duas são ótimas câmeras mirrorless, cada uma com suas vantagens de desvantagens. Mas a Fujifilm X-T20 tem um charme especial devido ao seu look retrô. E também possui diversos controles físicos na câmera. Além disso, tem um conjunto de lentes mais completo que o da Sony no formato APS-C.

Existem fortes rumores que a Nikon vai lançar boas câmeras mirrorless esse ano, quem sabe assim nem precisaremos vender nossas lentes atuais para migrar de sistema. Mas como o investimento é alto, esse sonho fica para o futuro!
A bela Fujifilm X-T20.

Esperamos que tenha gostado! Qualquer dúvida deixe um comentário que teremos prazer em ajudar!


Dica Bônus #1 Uma excelente fonte de informações sobre câmeras é o reviewer profissional Marcello Castilho, mais conhecido como Zack. Ele tem um blog onde publica seus reviews em texto e também pública vídeo reviews num canal pago no Vimeo (Antes era no Youtube por um valor mais acessível). O material é de excelente qualidade, não deve nada para reviews internacionais e está sempre atualizado com diversos lançamentos.

Dica Bônus #2 Já no nível internacional, os melhores reviews são do site DP Review. Sempre completíssimos e com detalhes que fazem diferença na hora da compra.

Dica Bônus #3 O site internacional DxOMark é uma excelente referência para comparar a qualidade de lentes e câmeras de forma objetiva. É prudente estudar um pouco a metodologia do site para entender seus resultado. O canal Tony & Chelsea Northrup do Youtube possui um vídeo excelente sobre como usar a ferramenta.

  • Compartilhe:

Veja também

0 comentários