Oyster Card - Como economizar ao andar de metrô em Londres

Por Mayara Rosa & Neuton - janeiro 10, 2018 - Local: Londres, Reino Unido


Olá amigos! Finalmente desembarcamos em Londres! Vamos escrever este post sobre o cartão de metrô porque não achamos tão fácil essa informação pelos blogs, pelo menos em português, esperamos que seja útil pra você que quer visitar Londres!

Depois de desembarcarmos do trem da Eurostar, finalmente chegamos nos domínios de Rainha Lilibeth. E é claro, não só de trem vivem os britânicos. O metrô de Londres é conhecido como um dos maiores do mundo. Então logo fomos resolver nosso "passe", porque já alertamos, o bilhete individual não é barato!

Símbolo do metrô de Londres, o London Underground, para os íntimos Tube.  Fonte: Wikipedia.
O referido "passe" é o Oyster Card. Trata-se de um smartcard, que funciona por aproximação (NFC). A sua grande vantagem é ser pré-pago. Ou seja, você carrega o cartão com um determinado valor, e a cada viagem esse valor vai sendo diminuído do saldo.

Até chegar lá, ainda não havíamos decidido se iríamos comprar o cartão, principalmente porque ficaríamos apenas 2 dias em Londres na primeira parte da viagem (depois voltaríamos para mais 1 semana). Mas, perguntamos para um funcionário do metrô, e ele foi bem solicito e nos confirmou que o Oyster Card é a forma mais econômica.
A economia acontece porque com ele, você tem a garantia de pagar um valor menor do que um passe diário ou semanal, por exemplo. Outra vantagem é "cap", teto diário de gastos do cartão, se você viajar dentro da mesma zona várias vezes no mesmo dia (coisa que turista faz muito), não será cobrado o valor individual das viagens após alcançar o valor máximo. Além de mais barato também é mais prático, pois evita-se filas, já que o cartão é reutilizável.

Quanto custa e como comprar?

O cartão tem um custo de £5 (cinco libras). O mais legal é que o valor do cartão e qualquer crédito abaixo de £10 que não foi utilizado, pode ser reembolsado. O reembolso é feito em qualquer máquina das estações (as mesmas usadas para carregar o cartão). E, é claro, nós esquecemos de devolver o nosso rs, mas o crédito não vence, então quem sabe a gente volta lá e ainda usa... ou empresta para alguém, que é mais uma possibilidade, desde que o cartão não tenha nenhum desconto especial (como de idosos, por exemplo). Mas atenção, o cartão é individual, nós compramos dois, pois pode ser solicitado por algum fiscal.

Como utilizar?

A primeira coisa a fazer, já no momento da compra do cartão, é colocar o crédito. É tudo informatizado, feito em máquinas nas próprias estações (as mesmas onde você pode comprar os bilhetes únicos). Para pagar você pode usar o cartão de crédito. Os valores das tarifas não são fixos, pois como as linhas são grandes, dependendo das zonas, paga-se mais ou menos. Para ter uma noção, um ticket diário dentro das zonas 1 e 2 (centrais) custa £6.80. Clique aqui para simular outros destinos e valores.

Este é o símbolo do leitor de cartões. Importante: é preciso aproximar o cartão na entrada e na saída do trecho.

Watch out for card clash. O cartão vem em uma carteirinha plástica, que indica para tomar cuidado e deixar seu cartão separado, pois caso você tenha algum outro cartão com o pagamento por aproximação, pode haver colisão (o valor pode ser cobrado nos dois ou pode ocorrer erro na leitura).

Parece muito detalhe, mas na verdade é super simples, depois da primeira vez você já estará familiarizado. Mas caso ainda tenha dúvidas, veja mais detalhes no vídeo explicativo abaixo (em inglês).



Outras informações

  • O cartão não serve apenas para o metrô. Há integração com todo o sistema de transporte (ônibus, trens de superfície e também barcos!).
  • E se eu ficar sem crédito? Caso já tenha passado a catraca, o valor será cobrado na saída, e o crédito fica negativo, tendo que ser pago na próxima recarga. Mas caso ainda não tenha passado a catraca, ainda é possível fazer uma última viagem "grátis" de ônibus. Ou seja, dá pra voltar para o hotel e resolver. Primeiro mundo, né? 
  • Existe um outro cartão exclusivo para turistas é o Visitor Oyster Card. Segundo o site oficial, ele traz algumas ofertas especiais, mas só pode ser comprado e entregue fora de Londres. 
  • Também é possível pagar a passagem com outros cartões de crédito que possuam NFC ou aplicativos de celular.
"Preste atenção no vão entre sua vida e seus sonhos". Até o próximo post!

Dica Bônus #1 Para conseguir descontos incríveis nas passagens de trem interestaduais, utilizamos o Two Together Rail Pass. Explicamos mais no nosso post de planejamento.

Dica Bônus #2 Se quiser saber como comprar o passe do transporte público de Paris, que é um pouquinho mais complicado do que o Oyster Card, leia nosso post sobre o Navigo Découverte

Dica Bônus #3 Mas, sempre que puder andar... ande! Caminhar na Europa é uma das coisas mais gostosas. Por todas as cidades em que passamos sempre descobrimos lugares lindos, então vale a pena vencer a preguiça e passear bastante! E quem sabe também aproveitar e fazer um "Free Walking Tour", mas isso é assunto pro próximo post...
Viagem em Maio de 2017

    • Compartilhe:

    Veja também

    0 comentários